Miché

miché
E agora, Miché?

A farça acabou
A policia gravou
O povo ouviu
A noite gritou
E agora, Miché?
E agora, você?
Você que é sem nome
que zombou dos outros,
Vocês que são diversos,
que armaram protestos
e agora, Miché?

Está sem Marcela,
está sem discurso,
está sem carinho,
já não pode corromper
já não pode afanar
fugir já não pode,
A noite calou
o dia é que veio
teu bonde inteiro
o Aécio no meio
o bolso e o nariz entupia
e tudo acabou
a friboi mugiu
e tudo phodeu
e agora, Miché?

E agora, Miché?
Sua doce mesada
seu instante de nobre,
sua turma e seu budum
sua guangue furréca
sua mina de ouro
seu teto de vidro
sua decência
Seu ódio, e agora?

Com a botija na mão
quer sumir com a mala
grampearam a mala
quis nadar no mar (de lama)
afogou-se
quer ir a Minas,
A PF está em Minas!
Miché, e agora?

Se os como vocês renunciassem,
Se os como vocês golpistas,
Se os como vocês dançassem
suas valsas vigaristas
se os como vocês sumissem
se os como vocês acordassem
se os como vocês morressem…
Mas os como vocês não morrem
Como vocês são duros, Michés!

Sozinho no Jaburu
qual lixo sem mandato
com misoginia
a verdade nua
a te encarar
sem o merecido voto
Assuma o golpe
E siga tua marcha, Miché
Miché, pra onde?

gostou? compartilhe e curta!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Scroll to Top