Fantasy

O secretário especial adjunto de Previdência e Trabalho, o Mickey da Previdência, está elaborando junto ao seu núcleo de personagens, digo, de assessores, um novo desenho para os trabalhadores ativos e aposentados do país.

Após o curta animado em que faz analogia entre uma Slime – espécie de geléca caseira que tem se popularizado entre as crianças – e o Déficit Previdenciário– espécie de conta gosmenta e pegajosa que justificaria aposentar-se depois de morto -, o secretário roedor e sua equipe encantada já preparam uma nova atração, ainda em sigilo.

Em reunião que aconteceu durante passeio de montanha russa em um dos parques temáticos de Brasilândia em que estavam presentes o Pluto, a Minnie e o tio Patinhas, em meio aos gritos durante as quedas livres, intercalados por gargalhadas nas subidas, foram definidas as bases para o nosso sistema de previdência.

Além dos assessores ligados diretamente ao secretário, um grupo liderado por Buzz Lightyear e Marcos Pontes, trabalha em paralelo para elevar nosso tempo de serviço e de contribuição “ao infinito e além”. O professor Pardal também colabora com pesquisas e invenções que poderão no futuro, caso haja, nos levar às bordas da terra plana. Enquanto isso, na sala de (in)justiça…O Zé Carioca está na praia. O Pateta, no planalto. Huguinho, Zezinho e Luisinho nas redes sociais.

De acordo com Mickey, seguindo orientações do Posto Ipiranga, medidas precisam ser tomadas com urgência para evitarmos o colapso do nosso sistema econômico e, porque não, nervoso. Tipo: taxar imediatamente os livros, perdoar dívidas de 1bilhão das igrejas, isenção de impostos para compra de jatinhos e lanchas, redução pela metade do Auxílio Emergencial. Com essas medidas o governo pretende eliminar custos desnecessários, no caso os pobres, e, ao mesmo tempo, estreitar laços com Deusmercado.

Também foram contratadas como auditoras a Bruxa do Leste e Maga Patalógica para validar a operação de cessão de uma carteira de créditos de R$ 2,9Bi do Banco do Brasil, do Brasil, para o Banco Pactual, do Posto Ipiranga, por 10% do valor de mercado. Mas vem de Londres o herói que pretende por um fim no mistério que assombra Brasilândia. Sir. Sherlock Holmes está entre nós, disfarçado é claro, fontes apontam que usa uma careca postiça como disfarce e está escondido em Atibaia.

– Então, Sherlock, diga-nos, sem mais delongas, quem depositou os 89mil?

– Elementar, meu caro, elementar…

gostou? compartilhe e curta!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Scroll to Top